• wanderlust

Tandara celebra recorde: "Consegui fazer o meu papel e mostrar o porquê da minha contratação"

Oposta do Sesc-RJ estabeleceu novo recorde de pontos numa competição adulta de vôlei sob a chancela da confederação brasileira. "Que atuação, garra, lucidez", avaliou Bernardinho


Quarenta pontos numa partida. A marca de Tandara, do Sesc-RJ, na final da Copa Brasil, no sábado, diante do Praia Clube, significou o novo recorde de pontuação de um atleta numa competição adulta de vôlei sob a chancela da CBV, a confederação nacional da modalidade. Ninguém fez tanto ponto num jogo quanto a oposta da seleção brasileira. Em Superligas, o recorde é dividido pela própria Tandara e pela ponteira Tifanny, do Sesi-Bauru: 39 pontos.



Os 40 pontos pegaram de surpresa até Tandara depois da final contra o Praia Clube.

- Sabe quantos pontos você marcou hoje - perguntou o repórter Juliano Lima. - Não, não faço a mínima ideia - respondeu Tandara. - Não quer chutar? - Não. - Quarenta pontos. - Difícil. Confesso que, nesse finalzinho de set, eu já estava arrastando um pouquinho mas, graças a Deus, deu certo. Consegui chamar o time, que é minha responsabilidade: rodar bola. Então, a bola tem que subir, e eu tenho que arriscar.


Tandara destacou que sua atuação mostrou por que foi contratada pelo Sesc-RJ.

– Foi uma conquista muito importante. É a nossa segunda final do ano, nosso segundo título (o primeiro foi o Carioca) e está todo mundo emocionado. Conseguimos reverter em quadra um primeiro set onde não vimos a cor da bola. Tenho certeza de que a união do time foi mais forte, foi determinante. Eu consegui chamar a responsabilidade, fazer o meu papel, que é virar bola. É o meu trabalho. Agora vamos comemorar porque terça já temos que virar a chave para entrar em quadra pela Superliga (contra o Flamengo, às 19h30, com transmissão do GloboEsporte.com) – disse a oposta. – Depois de muita dificuldade na minha vida, hoje tudo deu certo. Estou muito feliz no Sesc-RJ. Consegui fazer o meu papel e mostrar o porquê da minha contratação. Tenho que agradecer ao Sesc-RJ, ao Harry (supervisor), ao Bernardo e as minhas companheiras pela força e a confiança em todos os momentos.

No lado do Praia Clube, a resposta estava na ponta da língua para o principal motivo da derrota. O clube de Uberlândia chegou à final da Copa Brasil pela quarta vez - sem vencer nenhuma das decisões.

– Faltou parar a Tandara. A gente fez tudo certo, mas faltou o detalhe, que foi parar a Tandara - disse a central Carol, do Praia Clube.


A atuação ganhou elogios do técnico Bernardinho. Em rede social, sobre o desempenho da oposta de seu time, ele escreveu: "Que atuação, garra, lucidez".

11 visualizações

Cadastre seu E-mail

logo_w_bottom.png
  • Facebook Tandara Caixeta
  • Instagram Tandara Caixeta
  • Twitter Tandara Caixeta
  • Youtube Tandara Caixeta